Dando continuidade aos nossos conteúdos, gostaria de ressaltar que há diferentes possibilidades de atuação de um Coach de Líderes. Seja ele trabalhando com clientes convencionais ou participando de projetos integrados com investimento de alguma empresa. Esses são apenas duas  das inúmeras possibilidades de que o mercado de Coaching de Liderança pode proporcionar.

Trabalhar como Coach de Líderes, seja com pessoa física ou pessoa jurídica, não faz de você melhor ou pior do que outro profissional que está no mercado. Essa escolha faz de você um profissional decidido e que sabe por qual caminho deseja trilhar a sua jornada profissional. Você tem que entender o seu momento e aperfeiçoar o seu propósito.

Você já ouviu falar de Contrato de Três Pontas?

O nome pode parecer esquisito e causar algum tipo de estranheza. O importante é saber da importância dele no processo. Sem ele você corre grandes riscos de não atingir os resultados desejados. O contrato funciona como uma etapa do pré-processo de Coaching. Ele é a reunião de alinhamento que você realiza entre empresa, Coachee e Coach de Líderes e que tem por objetivo alinhar os objetivos do processo, estabelecer os indicadores de sucesso bem como fazer os acordos em relação ao processo.

Só depois de realizado o contrato de três pontas é que o processo, com o Coachee, começa. Na primeira sessão, você – o Coach de Líderes – vai precisar trabalhar o comprometimento do seu Coachee. Essa etapa é extremamente importante, pois – muitas vezes – o coachee chega para o processo resistente, temeroso ou com pouco interesse no processo, uma vez que a demanda foi da empresa e não dele mesmo.

A primeira fase do Contrato de Três Pontas

Então, na primeira fase do processo, o seu foco será no comprometimento do Coachee e no alinhamento de objetivos. O processo de Coaching é valiosíssimo para quem está recebendo. Porém é preciso alinhar os objetivos e comprometer o líder com o processo. Nesta sessão, o seu grande trabalho é conseguir que o processo passe a ser do próprio Coachee e não mais da empresa. Ele tem que entender que todo aquele processo é dele, mesmo que a empresa esteja investindo, mas o momento é todo dele.

Outra diferença fundamental que chama a nossa atenção como Coach de Líderes é quando a empresa passa a solicitar feedbacks do processo com o Coachee. Essa situação é mais do que normal, uma vez que a empresa solicitou a você que trabalhe e melhore as habilidade de determinado líder. Neste momento temos que ter uma metodologia muito adequada para saber realizar estes contatos de feedback com a empresa sem ferir o sigilo e confidencialidade do processo.

Fechamento do Contrato de Três Pontas

Uma outra diferença que é importantíssima, é que quando finalizamos o processo de Coaching nós temos que fazer o fechamento de Três Pontas. Esse fechamento, nada mais é, do que uma reunião entre nós, os Coach de Líderes, o Coachee e a empresa. É neste momento que ocorre a avaliação dos resultados do processo de Coaching. Esta avaliação é realizada pelo Coachee, pela empresa e por nós, a partir dos objetivos e indicadores de sucesso que foram estabelecidos no Contrato de três pontas.

Neste momento pode acontecer algo bem peculiar, o Coachee pode ter uma avaliação de todo o processo completamente diferente da empresa. Eu, que sou Coach, sei como o Coaching causa mudanças internas e faz com que a pessoa expanda o seu horizonte. Então ver que houve uma diferença de validação é algo interessante de se notar.

A empresa visualiza o resultado de uma forma bem diferente. Ela avalia pelos resultados que ela vê e pelas mudanças que já ocorreram na prática. Deja na produtividade, nas habilidades de liderança e nos próprios resultados. E neste momento nós temos que ter a metodologia adequada para saber conduzir com maestria esta reunião de fechamento do processo. Agora, através da nossa expertise, nós iremos conduzir este fechamento para que ele seja extremamente positivo para as três pontas – você, o Coachee e a empresa.

Deu para entender as diferenças?

Lembrem-se: tanto a empresa quanto o cliente convencional são duas formas bem interessantes de se trabalhar, mas a empresa nos traz uma visão mais abrangente da situação, uma vez que conseguimos ver na prática tudo aquilo que foi trabalhado acontecendo. 😉

Se você é novo por aqui, que tal começar a me seguir nas minhas redes sociais?

Liana Gomes no Facebook

Liana Gomes no YouTube

Liana Gomes no LinkedIn

Liana Gomes no Instagram